desvendado o mito do rodado duplo

Todos vocês já devem ter notado que sou fã incondicional de campervans, aqueles motor-casas feitos a partir de furgões leves.

Eu até admiro demais os brutamontes, acho lindões, maravilhosos, mas por razões que não cabem nesta postagem eu fico mesmo é com os compactos, me perdoem os amantes dos gigantes multieixos, mas o objeto da discussão de hoje é furgãozinho mesmo.

Eu vim aqui hoje para falar especificamente sobre o que eu considero um mito: rodagem dupla ser indispensável para a segurança do motorhome.

Por que eu, o autor deste blog, considero um mito o simples uso de rodado duplo aumentar a segurança do RV?

A primeira questão a considerar é que a finalidade do segundo pneu na extremidade de cada eixo é a de oferecer maior distribuição de peso no contato com o solo, ponto. Um eixo com apenas uma roda em cada extremidade é projetado para suportar até 6 toneladas de peso, seis mil quilos, peso pra caramba, enquanto que o de rodagem dupla suporta até 10 toneladas. Portanto o pneu adicional só será necessário se? Se? Isso mesmo! Se o eixo tiver que suportar mais de seis mil quilos de peso.

O aumento do contato com o solo influi muito pouco na capacidade de tração, no consumo de combustível e na estabilidade, especialmente em se tratando de utilitários leves, portanto eu, blogueiro, eu, euzinho, acho dispensável investir em um Iveco ou em um Sprinter peso pesado se você vai enfiar nele um tanque com 200 litros de água, um colchão, uma geladeira, um fogão, uma tevê e um par de taças pra tomar vinho.

Ah: e uma cuia pra matear.

Se você pensa diferente, tem meu respeito. E lembre de ler aquela advertência fixada lá na coluna à direita antes de adotar minhas ideias.

CALIBRE BEM OS PNEUS E NÃO EXCEDA O PESO

Tenho acompanhado em discussões nas redes sociais o posicionamento de uma pá de internautas garantindo que o uso de rodagem dupla é indispensável mesmo nos motorhomes leves porque "se estourar um pneu...", por isso saí pesquisando sobre o assunto.

Mas antes eu notei que os carros que passavam ao meu lado na rua tinham todos apenas dois pneus traseiros! E as caminhonetes. E as vans de passageiros, micro-ônibus, VUCs. furgões de carga, eram todos estáveis, seguros, elegantes. Quase morri de susto. Peralá. Tem até tanque de guerra com quatro míseros pneuzinhos. Como pode?

Vamos conversar sério: estouro de pneu tem causas bem particulares, como calibragem inadequada, sobrepeso, má distribuição da carga, pneumáticos de má qualidade ou demasiadamente gastos, pneus recondicionados, podridão seca (deixar o carro parado um tempão resseca os pneus), pancadas, passagem sobre objetos ou em buracos com quinas e outras causas mais e pode acontecer com qualquer veículo, inclusive com aquele seu sedam que você usa para ir ao supermercado. Você vai duplicar a rodagem do seu Simca Chambord por isso? Acredito que não.

E só mais uma perguntinha: você acha que pneu dianteiro não estoura também?

O rodado duplo foi bolado para aumentar a capacidade de carga dos caminhões e aguentar o peso das carrocerias gigantescas de ônibus, portanto se o seu motorhome é um bruto, obviamente terá o segundo pneu, quem sabe até um segundo eixo também, um trucadão, mas se você quer um veículo leve e não tem a intenção de entulhar ele de tranqueiras, não há razão para se prender aos modelos supercarga.

Depois da rodagem dupla vem o eixo duplo, o triplo, o tandem variável, os multieixos... Haja dinheiro pra gastar em rodantes.

Quer ter segurança com os pneus? Compre pneus bons, de marcas recomendadas pelo fabricante ou por empresas e técnicos realmente sérios, nunca use remold, ressolado ou seja-lá-que-re, não "importe" pneumáticos daquele país vizinho (inclusive é crime de descaminho), calibre  os redondos semanalmente ou antes de cada partida e torne a calibrar sempre que enfrentar vias esburacadas ou pedregulhos, faça rodízio com os pneus, mantenha o alinhamento e balanceamento em dia, observe as marcas de desgaste e troque eles no tempo certo, mantenha-os limpos e bem hidratados.

PAGANDO PEDÁGIO EM DOBRO E SENDO FELIZ

Eu não sei como anda o seu bolso, talvez você tenha dinheiro sobrando e não se importe de ajudar a enriquecer as concessionárias de rodovias e lotar os cofres do governo com o seu rico dinheirinho, mas para a maioria da população - e eu me enquadro aqui - o custo dos pedágios pesa na viagem.

Moro no estado de São Paulo, acho que não existe nenhum planeta nesta galáxia com tanto pedágio quanto tem aqui. E o preço? os olhos da cara.

Para você ter uma ideia, se eu for hoje de Campinas até Praia Grande com minha caminhonete de rodagem simples e motor a diesel, eu gasto tanto em pedágio quanto em combustível, pouco mais de 37 reais em diesel pra rodar 170 Km e pouco mais de 37 reais para os cofres das concessiona´rias e do governo paulista, que por sinal já tem uma fatia bem gorda nos impostos arrecadados com a venda de combustíveis.

E se ela tivesse rodagem dupla, meu amigo, eu gastaria o dobro em pedágio do que em combustível.

DIFERENÇA INSIGNIFICANTE EM DESEMPENHO

Vou me basear em um estudo feito com tratores em 2011 na Universidade Federal de Santa Maria - RS, comparando equipamentos com rodagem simples e rodagem dupla no uso severo, no campo, ambiente hostil e de solo irregular, que pode ser fofo, esburacado, íngreme, pedreguento. Acho que exagerei, mas vamos lá.

Os pesquisadores que fizeram o comparativo não encontraram diferenças tão significativas entre usar um equipamento com rodagem simples ou com rodagem dupla quanto as diferenças que observaram na calibragem dos pneus.

Sim, a calibragem adequada ao peso de carga é extremamente importante, tanto que vem escrita no manual de qualquer veículo a pressão mais adequada para rodar com ele vazio e para rodar  com ele carregado.

A maior diferença observada no estudo lá da UFSM foi uma ligeira redução no consumo de combustível com rodagem dupla e (e) com os pneus bem cheios, diferença que praticamente desapareceu com os pneus calibrados com a pressão mínima. A tração também se mostrou mais eficiente na rodagem dupla com pressão máxima e sem diferenças importantes na baixa pressão.

Dito isso, se você anda pensando em comprar um pequeno notável ou montar o seu bem ao estilo "do it yourself" - DIY (faça você mesmo), considere o peso da máquina e o peso agregado antes de fazer a sua escolha.

um aplicativo que todo campista deve ter

Pensando em facilitar a vida dos amigos que viajam com suas casas sobre rodas, três motorhomistas com vasta experiência no assunto disponibilizaram para ser baixado e usado gratuitamente um prático aplicativo para smartphone contendo informações sobre campings e pontos de apoio ao caravanista em todo o Brasil, além de calendário de eventos de interesse campista.

Não é fantástico? Nossos agradecimentos a Raul Becker, Graça Soares e Luciane Algarve Vendramin por esse trabalho maravilhoso. 

Os dados da lista foram organizados por estado e município e exibem preferencialmente as coordenadas geográficas para o viajante chegar tranquilo utilizando seu navegador GPS, além, é claro, de ter também endereços, telefones e até algumas dicas.

No próprio aplicativo tem instruções para quem não é familiarizado com a navegação através de coordenadas. 

BAIXANDO E CRIANDO UM ATALHO PARA ABRIR

Para baixar o aplicativo você pode copiar e colar na barra de endereços do navegador do seu celular o URL: http://app.vc/campings_rvs, se estiver navegando com ele agora basta clicar aqui para abrir a página do desenvolvedor ou, se tiver um leitor de QR code, você pode fazer a leitura de carregamento diretamente da imagem ao lado.

Veja nas imagens a seguir o passo-a-passo para instalar o aplicativo tanto no seu iPhone, que roda o sistema operacional iOS quanto nos demais smartphones, que normalmente rodam o sistema operacional Android, rebatizado de Lolipop, nos aparelhos com o Firefox e no Windows Phone.

Atenção: é preciso criar um ícone de atalho seguindo as orientações a seguir para poder acessar o aplicativo, pois ele pode não aparecer na lista de aplicativos do seu celular.

 Apple iPhone - sistema iOS

sistema Android ou Lolipop

celulares com Mozila Firefox

Windows Phone

higiene do reservatorio de agua potavel

Olá. Prosseguindo com o tema água potável para consumo no motorhome, compartilho hoje com vocês uma importante contribuição do Dr. Burdmann, mestre em infectologia, que acredito ser de extrema importância. 

Ontem publiquei aqui um tópico sobre reservatórios de água potável e ao divulgar a postagem em um grupo de campistas no Facebook, tive a satisfação de ver um amigo trazer ao grupo uma questão: colocar um fio de cobre dentro da água previne a proliferação de microrganismos?

Fiquei muito grato pela pergunta, pois ela despertou em mim a curiosidade suficiente para pesquisar algumas coisas que escrevo agora para vocês.

Apesar de minha formação técnica em meio ambiente e de minha certeza que o fio de cobre não impediria a ocorrência do fenômeno que popularmente denominamos “água podre” e até poderia ser nocivo à saúde humana, eu não saberia dar uma resposta adequada a essa pergunta e aguardei, curioso, que alguém mais capacitado que eu se manifestasse. E não demorou.

O Dr. Burdmann logo nos explicou que ele, especializado em doenças de transmissão hídrica pela Faculdade de Saúde Pública da USP, nunca soube que manter um fio de cobre na água fosse eficaz nesse tipo de uso, acrescentando que em piscinas se faz uso de sulfato de cobre como aglutinante de partículas de sujidade, que ao agregá-las, faz com que se depositem no fundo pela ação da gravidade, mas advertiu que o cobre pode ser tóxico para o organismo humano, portanto não se deve usar tal produto em botijas de água potável.

UM POUQUINHO É BOM, MAS SEM EXAGERO

De acordo com trabalho acadêmico que li, o cobre é importante para a saúde humana, participando de diversos processos no organismo, tais como a metabolização do ferro por enzimas, a formação de elastina e do colágeno e a produção de melanina.

Só que tudo o que é demais faz mal, lembre-se da célebre frase de Paracelso: “Todas as substâncias são venenos, não existe nada que não seja veneno. Somente a dose correta diferencia o veneno do remédio.”. E o cobre que precisamos em nosso organismo já está presente em alimentos tais como frutos do mar, especialmente ostras, em sementes oleaginosas, cogumelos e até na batata doce.

É importante você saber que, caso venha a ingerir água contaminada por cobre, seu fígado e outros tecidos poderão sofrer danos, até o cérebro pode ser afetado, o cobre atua como agente pró-oxidante no organismo, promovendo a formação de radicais livres - aqueles famosos agentes de envelhecimento precoce.

Acho que isso basta para você abandonar de vez a ideia do fio de cobre na caixa d’água, ou não?

Para manter o seu tanque de água sempre limpo, é indispensável o uso de um bom filtro na entrada, independente da origem da água que vá ser adicionada a ele. Existem filtros para todos os bolsos e em lojas especializadas em produtos para lavoura é comum encontrar uns bem baratos e eficientes, que muitos motorhomistas usam e recomendam.

COMO REALIZAR A LIMPEZA DO RESERVATÓRIO

Voltando aos conselhos do Dr. Burdmann, é mais indicado o uso de um bom purificador de água para a manter limpa, a ciclagem da água pelo uso impedirá que ela apodreça, manter o tanque de água cheio com o motorhome sem uso por muito tempo poderá acarretar a proliferação de fungos e bolores e de bactérias. Se houver incidência de luz, até mesmo algas poderão se desenvolver.

A solução apontada pelo médico infectologista é esvaziar, lavar e manter sempre limpos os depósitos de água.

Aquecer o recipiente ou colocar água fervida para desinfecção pode não ser eficaz, porque cistos de fungos produtores de toxinas podem sobreviver a temperaturas de até 120 graus Celsius, muito acima da temperatura de ebulição da água que é de 100ºC (pura e ao nível do mar - a da torneira pode ferver e se evaporar alguns graus abaixo ou acima) e combater a proliferação de microrganismos com produtos químicos também pode afetar a saúde humana.

Não use sabão ou detergente! A SABESP, aquela mesma que esqueceu de investir em reservatórios enquanto distribuía o lucro aos seus acionistas, sendo o majoritário o Governo do Estado de São Paulo, recomenda o uso de água sanitária e nada além disso para a limpeza de caixas d'água residenciais (veja aqui).

Segue abaixo um passo-a-passo para limpeza regular do reservatório adaptado das instruções publicadas pela DAE de Jundiaí/SP, que deve ser feita pelo menos a cada seis meses ou sempre que permanecer muito tempo sem uso. Como os tanques de água potável de motorhome são quase sempre bem fechados, com difícil acesso à parte interna, pode ser que você não consiga fazer a escovação.

  • Esvazie o reservatório.
  • Se houver a possibilidade de introduzir uma escova plástica de cerdas macias, escove as superfícies internas, retirando o lodo.
  • Esguiche água sob pressão no interior do reservatório, se possível por toda a superfície.
  • Enxague com abundância e escoe a água.
  • Encha o reservatório com água limpa.
  • Adicione a essa água 0,2% de água sanitária clorada (200 ml para cada 100 litros de água).
  • A água sanitária clorada pode ser substituída pelo hipoclorito de sódio a 10%, neste caso, ao invés de 0,2% do volume do reservatório de água sanitária clorada, utilize 0,05% de "hipoclorito de sódio a 10%" (50 ml cada 100 litros de água).
  • Espere duas horas e esvazie o reservatório. Atenção: não use essa água para beber ou preparar alimentos, aproveite ela para limpeza de quintal ou de banheiro.
  • Enxague mais uma vez o reservatório com água sob pressão para remover totalmente os resíduos do cloro presente na solução de limpeza.
  • Encha o reservatório com água limpa e consuma normalmente.
SEGURANÇA NO USO DE CLORO E DERIVADOS

O cloro presente na água sanitária ou no hipoclorito de sódio evapora com facilidade e se o gás desprendido da solução aquosa for inalado, pode provocar intoxicação, perda de consciência e em casos mais graves pneumonia e edema pulmonar.

Com mais frequência seus vapores podem provocar tosse, dor de cabeça, inquietação, sensação de sufocamento, irritação e até queimaduras nas mucosas dos olhos, nariz e garganta. O contato direto com a água sanitária pode causar também irritação da pele.

Sempre que manipular produtos contendo cloro (válido também para amônia), faça em ambiente bem ventilado e longe de crianças, animais domésticos e alimentos e nunca o misture a outros produtos químicos e saiba que o cloro polui os rios, o solo e o ar e prejudica a flora e a fauna terrestres e aquáticas e provoca oxidação, não devendo ser usado na limpeza de superfícies metálicas.

MEDIDAS DE PRIMEIROS SOCORROS

Saiba o que fazer em caso de inalação de vapores, contato ou ingestão de produtos de limpeza que contenham cloro em sua composição e sempre priorize o atendimento aos efeitos causados pela inalação do produto.


INALAÇÃO

Remover a vítima para ambiente com ar fresco, e mantê-la aquecida. 

A vitima deve ser colocada sentada, com ângulo de 45 a 60 graus entre o tórax e os membros inferiores. 

Providenciar socorro médico imediatamente. 

CONTATO COM A PELE

Remover as roupas contaminadas da vítima debaixo do chuveiro já ligado. 

Lavar continuamente a parte afetada com água fria, pelo menos por 20 minutos. A lavagem pode ser feita com água e sabão, mas não se deve friccionar a pele. 

Se houver irritação na pele após a lavagem, providenciar socorro médico. 

CONTATO COM OS OLHOS

Lavar imediatamente os olhos, sem esfregar e continuamente, com um fluxo direto de água, pelo menos por 20 minutos. 

Durante a lavagem manter as pálpebras abertas para assegurar completa irrigação dos olhos e tecidos oculares. 

Lavar os olhos poucos segundos após a exposição é essencial para atingir máxima eficiência. 

Providenciar socorro médico imediatamente 

INGESTÃO

Nunca administrar qualquer substancia, por via oral, a uma pessoa inconsciente. 

Se o cloro for ingerido, NÃO PROVOCAR VÔMITO

Se a vítima estiver consciente dar grandes quantidades de água (há opiniões favoráveis e contrárias a oferecer leite, que pode provocar refluxo e trazer o líquido contaminante de volta ao esôfago). 

Caso ocorra vômito espontâneo, manter o ambiente com circulação de ar e dar mais água à vítima.

Procurar socorro médico imediatamente.

SE FOR PRECISO, CHAME O SAMU

No Brasil, contamos desde a primeira gestão do tão amado ou tão odiado ex-presidente Lula, com o SAMU - Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, que dispõe de profissionais muito bem treinados para prestar socorro gratuito a vítimas de acidentes, inclusive os provocados por contato com o cloro. Ligue 192 e informe ao atendente todos os dados solicitados.

O SAMU funciona em sistema de parceria entre os governos Federal, estadual e Municipal, sendo este último o responsável direto pela prestação do serviço à população, se na sua localidade não existir o serviço ou não for satisfatório, questione o seu prefeito.

reserva de agua potavel no motorhome

O dimensionamento do reservatório de água potável de seu motorhome deve ser tão personalizado quanto o próprio veículo, não existe uma regra de quantos litros levar, não dá para se prever com exatidão o consumo, mas alguns fatores podem te ajudar no cálculo.

O primeiro fator a considerar é sempre a quantidade de pessoas que irão fazer uso de água durante os deslocamentos e/ou estadias, para permanecer na autocaravana comendo, tomando banho, lavando louças e usando o sanitário, cada pessoa irá consumir em média uns 100 litros de água por dia, mais uma vez: isso é uma estimativa, nunca uma regra.

Em seguida entra a capacidade do próprio veículo de acomodar o volume e transportar o peso agregados com a instalação e abastecimento do reservatório, lembrando sempre que para cada litro do precioso líquido deve ser considerado o peso adicional de um quilograma à "carga".

Cada quilinho a mais no carro implica em maior consumo de combustível, mais carga ao conjunto motor-câmbio-embreagem-freios, maior espaço de frenagem, menor capacidade de arranque, maior risco de danos à suspensão e aos pneus e daí por diante.

DISTRIBUINDO O PESO DA ÁGUA

O reservatório de água, como qualquer outro item de maior peso, deve estar o mais próximo possível ao assoalho do veículo ou até embaixo dele, no caso de grandes ônibus e a sua localização deve ser estrategicamente planejada para que não sobrecarregue um lado do veículo mais do que o outro, tanto diagonal quanto longitudinalmente (tanto de travessado quanto de comprido, como dizemos no interior de São Paulo).

Atenção! A instalação do reservatório de água muito acima do "nível de solo" do veículo pode prejudicar seriamente a estabilidade de seu motorhome, comprometendo seu desempenho e sua segurança, podendo até provocar um acidente como um tombamento, com graves consequências ao carro e aos seus ocupantes. A água deve ser bombeada até os pontos de consumo, nunca ir por gravidade.

Igualmente importante é o uso de tanques dotados de quebra-ondas, para que o líquido não fique sacudindo de um lado para outro, pulando dento do recipiente, isso também é perigosíssimo para a estabilidade do motor-casa, um recipiente especial como o da primeira fotografia não custa tão caro e nem é tão difícil de ser encontrado e vale a pena.


Pense na possibilidade inclusive de usar dois ou mais tanques menores que se comuniquem na parte inferior a fim de igualar seus níveis de reserva d'água e distribuir seus volumes pelo veículo.

A imagem ao lado mostra um tanque caseiro de abastecimento, feito para levar a água de uma fonte (torneira, mina...) até o veículo e até pode ser interessante também para reservatório se você tem a grana curta, mas vale mesmo o risco?

Acredito que não. e outra coisa: isso é uma embalagem na qual foi comercializado algum produto que pode deixar resíduos impregnados no material e provocar contaminação da água.

VAMOS CALCULAR O TAMANHO

Aqui, como em todo o processo de planejamento de construção ou aquisição do camper, trailer, ou motorhome, cabem algumas perguntas:
  • Quantas pessoas usarão a água do motorhome?
  • Para que essa água vai ser usada (cozinhar, tomar banho, escovar os dentes...)?
  • Por quanto tempo será o uso de água sem um reabastecimento (um dia, dois,...)?
  • Que tipo de viagem se pretende fazer?
  • Você pretende pernoitar em campings, parar em pontos de apoio?
  • Ou deseja ou corre risco de passar longos períodos em lugares remotos?
  • Qual o tamanho e a capacidade de carga do motorhome?
  • Tem espaço para tanques maiores ou menores?
  • O motor aguenta o peso que você pretende adicionar?
  • É um ônibus de três eixos, um micro-ônibus, um furgão, uma Kombi, ou é um trailer?
  • E como vão ficar o consumo de combustível e o desgaste?
  • Você já aprendeu a poupar água, consegue tomar banho e lavar louças com pouca?
  • Quanto você está disposto a gastar na compra e na instalação?
  • Pretende fazer seu próprio tanque?
  • Você prefere em plástico, em fibra de vidro, em aço?
E várias outras perguntas podem surgir. Como vemos, são diversos quesitos e só você pode determinar o que lhe convém. E se não planejar direitinho, tem boas chances de errar, por isso é bom fazer testes de consumo e considerar todas as variáveis envolvidas antes de "fechar o pacote".

Quer um conselho? Fuja do improviso, a menos que seja extremamente necessário ou seja um capricho seu.

ESCOLHENDO O MATERIAL MAIS ADEQUADO

Existem outros materiais, mas o plástico, a fibra de vidro e o aço inox são os mais comuns.

Pessoalmente gostaria de sugerir a você o uso do plástico, devido à sua leveza e facilidade de  compra, instalação e limpeza (clique aqui para ler a postagem sobre como higienizar o seu reservatório de água potável), como intermediário temos a fibra de vidro, que pode ser moldada a gosto do cliente e na contra-mão temos o aço inox, que é excelente em performance (a água não pega gosto), mas é pesadão e difícil de encontrar formas e tamanhos adequados.

De novo caímos nos quesitos tamanho e capacidade do veículo e preferência do freguês.

SÃO MUITOS OS MODELOS E TAMANHOS

Pesquise o que o mercado te oferece em termos de capacidade de armazenamento, de material construtivo, formas de fixação, medidas e formato, a internet pode ajudar muito e para começar a visualizar o que existe por aí para ter suas próprias ideias, sugiro começar com uma busca de imagens no Google (clique) e visitar os sites daquelas que te interessarem.

Aqui fiz uma busca em inglês apenas para ilustrar com maior abundância de imagens, use sua criatividade para procurar no Brasil e consulte seus contatos.

Procurei propositalmente ilustrar esta postagem com tanques bastante diferentes entre si, para demonstrar que cada um encontra a solução que acha mais conveniente, desde os mais sofisticados até os mais "ricos" em improviso. Sempre com cuidado, criatividade e planejamento!

Por fim, o posicionamento dos reservatórios deve levar em conta ainda a temperatura em seu entorno, se ficarem muito próximos a fontes de calor como o escapamento, não só a água pode aquecer, como podem haver danos ao próprio tanque e à tubulação.